Os budistas comemoram o Natal?

Essa é uma pergunta frequente que sempre ouvimos.

Um jeito rápido de responder seria: “Não, não comemoramos, porque o natal é uma festa cristã, que comemora o nascimento de Jesus… e nós somos budistas, temos fé em Buda e seguimos o Seu exemplo e ensinamentos”.

A resposta parece estar correta… mas não compartilha da verdade.

O que, de fato, comemoramos no Natal? O nascimento de uma pessoa ou os seus ensinamentos, o que ela representa?

Jesus pregou a paz entre os homens. Ensinou o perdão e a oferecer a outra face. Que se alguém nos prejudica, não devemos perdoar apenas sete vezes, mas 70 vezes sete. Jesus disse que não há amor maior do que dar a vida pelos outros. Ele inspirou cada um a esquecer-se de si próprio, pegar a própria cruz diária e segui-Lo. Dizia para acumularmos riquezas que não podem ser roubadas por ladrões ou roídas por traças. Ensinou também que não há mérito em amar quem nos ama, mas que devemos amar nossos inimigos e rezar por eles. Jesus advertia para não repararmos nos ciscos nos olhos do próximo, enquanto os nossos permanecem cheios de travas.

Buda disse que sem paz interior, a paz exterior é impossível. Encorajou-nos a usar esta vida para cultivar a única riqueza que quanto mais é dada aos outros, mais dispomos dela: a riqueza interior da bondade, do amor, da compaixão e da sabedoria. Que as únicas coisas verdadeiramente significativas são as que podem ser levadas conosco após a morte, para a próxima vida. Que a nossa compaixão deve ser treinada e desenvolvida até que se torne universal, por bons, maus ou estranhos. Que os defeitos dos outros não estão separados dos nossos próprios defeitos. Buda exortou que o sentido da nossa vida é praticar o santo caminho do bodissatva, o altruísta amigo de todos os seres vivos que dedica sua vida à iluminação para o bem-estar do próximo, humano ou não-humano. Para termos a coragem e a disposição de oferecermos a vitória aos outros, e ficarmos com a derrota. Que não existem inimigos em si mesmos, mas apenas pessoas que fazem coisas erradas, às vezes muito erradas, porque estão fortemente sofrendo devido ao veneno interior da raiva, da ignorância e do apego em seus corações.

Por tudo isso, podemos nos sentar juntos, cristãos e budistas, à mesma mesa e comemorar o nascimento de Jesus.

O regozijo mútuo é o principal prato a ser servido nessa noite. O verdadeiro presente é a troca de nossas experiências espirituais.

Que na noite de Natal possamos nos regozijar uns com os outros baseados na fé de que:

  • Podemos usar cada momento do nosso dia e da nossa vida para sermos pessoas melhores do que fomos ontem e anteontem.
  • Podemos sempre diminuir e enfraquecer nosso egoísmo e nossa vontade própria, desvinculada das necessidades, felicidade e liberdade dos outros.
  • Podemos sempre fortalecer e aumentar nosso altruísmo, desejando que nossa felicidade e liberdade estejam a serviço da felicidade e liberdade dos outros.

É com essa disposição interior que nós, budistas, comemoramos o Natal.

Por tudo isso, as Filiais do Centro de Meditação Kadampa Brasil deseja para todos Feliz Natal. Que o mérito de nossas famílias reunindo-se em paz e harmonia transforme-se em raios de luz de amor, paz e sabedoria para todos os seres vivos, em todos os universos.

Com amor,
Centro Budista Kadampa Shantideva

Anúncios

Os comentários estão desativados.